Policial militar aposentado prende homem por disparos de arma de fogo na Ilha do Mel

Por Redação 04/07/2017 - 15:40 hs

Na madrugada de segunda-feira, 3, mesmo aposentado, o policial militar Carlos Modesto, que era lotado no 9.º Batalhão, em Paranaguá, deteve Manoel Carvalho de Paula Júnior, o “Butuca”, de 25 anos, por disparos de arma de fogo na Praia de Encantadas, na Ilha do Mel.

Tudo começou por volta das 3 horas, quando o policial reformado se encontrava na casa de familiares e ouviu três estampidos de tiros. Em seguida, um morador na região chegou na residência informando que Manoel teria efetuado os disparos de arma de fogo e vinha em sua direção, acompanhado da namorada.

Modesto então revolveu verificar a situação e, acompanhado do seu cunhado, abordou "Butuca", mas ele não portava nenhuma arma. No entanto, o policial segurou o detido até a chegada de uma equipe da PM em serviço na Ilha do Mel e, na sequência, foram verificadas as imagens das câmeras de monitoramento de uma pousada, próximo de onde ocorreram os tiros, e foi constatado que Butuca era o autor dos disparos.

Após ver as imagens, o detido assumiu a autoria do delito e informou que havia entregue a arma, um revólver calibre 38, para um menor, o qual foi localizado na sequência. O garoto, de 16 anos, acabou entregando o revólver aos policiais, que verificaram que havia três munições deflagradas e uma intacta na arma.

Todos os envolvidos acabaram encaminhados à 1.ª Subdivisão Policial de Paranaguá, sendo "Butuca", que era morador no Conjunto Cominese, em Paranaguá, autuado em flagrante na prática do crime de disparo de arma de fogo, porte ilegal de arma de fogo de uso restrito e corrupção de menor, ficando recolhido no setor de carceragem local à disposição da Justiça.

De acordo com o que foi apurado pela polícia, os tiros foram motivados pelo fato de um amigo de "Butuca", suspeito de assaltar um turista, ter sido detido pelos nativos da localidade. Ao ver o amigo em apuros, "Butuca" teria puxado o revólver e efetuado os disparos, deixando os moradores na região apavorados.

Em suas declarações, Modesto, que foi à Ilha do Mel para lazer, disse que apenas cumpriu o seu dever. Segurança pública é dever do Estado, direito e responsabilidade de todos”, declarou o policial reformado.