Ostras de Guaratuba entre as três melhores do mundo

As ostras de Cabaraquara possuem o título de melhor ostra do país e uma das três melhores do mundo

Por Redação 03/07/2017 - 11:26 hs

As ostras de Cabaraquara possuem o título de melhor ostra do país e uma das três melhores do mundo. A região foi visitada por especialistas japoneses que viajaram pelo Brasil e também avaliaram ostras produzidas em várias regiões do mundo. Os especialistas do Japão afirmaram que  a ostra nativa da Baía de Guaratuba, na parte sensorial, é a melhor do país e uma das 3 mais saborosas do mundo. “Já provei ostras praticamente do mundo inteiro mas seguramente posso dizer que as ostras de Guaratuba estão entre as 3 mais saborosas do mundo” (Kikuo Yamamoto). 
    Cabaraquara é uma vila de pescadores de Guaratuba, localizada depois da travessia do ferry boat. A partir de 2005, com o apoio do projeto Cultimar,  da Universidade Federal do Paraná, a localidade deu início as "fazendas" de cultivo de ostras. O cultivo acontece também no Salto Parati e no Rio Barigui. Atualmente, o projeto Cultimar faz mensalmente a análise sanitária da produção. 
    Os produtores de Guaratuba tem mudado a realidade da ostreicultura no Paraná, com a produção majoritária de ostras feitas por meio de cultivo. Anualmente  são produzidas 14.300 dúzias provenientes de cultivo e 4.300 dúzias através do extrativismo comercial. As ostras podem ser compradas no Mercado Municipal de Guaratuba.
    O que contribui para o título de melhores ostras do mundo, são as características da região, com águas quentes e de estuário, que fornecem as condições ideais para o cultivo do fruto do mar, que tem grande valor nutricional. Em Cabaraquara, o visitante pode conhecer o cultivo de ostras e deliciar-se com a iguaria nos restaurantes locais.
    Em Guaratuba, há duas associações que juntas possuem 18 filiados. A Associação Guaratubana de Maricultores (AGUAMAR) e a Associação de Defesa dos Direitos humanos e Desenvolvimento dos Moradores Tradicionais de Guaratuba e Região (ADEGUAR). 

    Cultivo
    As 'sementes' (óvulo já fecundado) das ostras podem ser obtidas naturalmente em coletores artificiais e também  produzidas em laboratório, com desova induzida. A obtenção da semente em laboratório, permite a seleção das melhores e maiores ostras para reprodução.
    O método de cultivo utilizado pelos produtores é chamado long line, caracterizado por bóias e lanternas. As "sementes" são colocadas em estruturas submersas na água para se desenvolverem. Depois que atingem um tamanho maior, as ostras são transferidas para as chamadas lanternas, que são como gaiolas feitas de tela de nylon, com vários andares.