Ministério Público complica ainda mais a vida de Marcos Casquinha, prefeito eleito em Pontal do PR

Casquinha teria praticado crime de caixa 2.

Por Redação 30/06/2017 - 09:20 hs

Ao meio dia desta quarta feira (28), o tão aguardado parecer do Ministério Público Eleitoral foi publicado e o parecer da promotora Dr. Carolina Aidar, sobre o processo movido pela coligação Edgar Rossi de que Marcos Casquinha teria praticado crime de caixa 2.

O mesmo deu inicio a campanha eleitoral sem abrir conta bancária específica de campanha e sem CNPJ de campanha, fazendo movimentações financeiras sem os requisitos legais determinados pela Justiça Eleitoral, configurando o crime de caixa 2 que poderá gerar a cassação do mandato.

A coligação Edgar Rossi, fez a denúncia durante a pleito eleitoral, e levou ao conhecimento da justiça eleitoral a qual abriu processo dando direito a defesa. Após concluir o processo e constatar que as provas documentais apresentadas eram lícitas e legais.

A coligação de Marcos Casquinha recorreu ao TRE, que julgou e em três estâncias aquele colegiado por unanimidade concordou com a decisão do Juiz da Comarca.

O processo retornou ao Juiz eleitoral da Comarca de Matinhos, o qual juntou as provas julgadas a outro processo que pedia a cassação do diploma de Marcos Casquinha.

Os autos forma remetidos ao Ministério Público que analisou o processo e emitiu parecer no dia de hoje, solicitando novas diligências: A seguir

1- Solicitou que fosse enviado aquele Juízo, cópias dos três julgamentos dos recursos julgados pelo TRE.

2- Que a prestação de contas da Coligação Marcos Casquinha, seja reavaliada.

3- Que o inquérito que tramita na Polícia Federal de Paranaguá, o qual apura a distribuição de Combustível em troca de votos. No dia da eleição a PF flagrou veículos abastecendo em um posto de gasolina no Balneário Ipanema e os motoristas entregavam um ticket ao frentista, na ação da PF foram apreendido dois HDs, com imagens do pátio, da contabilidade do posto,tickets e também foram apreendidos cheques pré datados de dois empresários de Pontal do Sul que participavam da campanha de Marcos Casquinha.

Após concluídas estas diligências o MP dará parecer definitivo no processo e caberá a nova Juíza Eleitoral da 194 zona eleitoral do Litoral, Dra. Daniela Guimarães Costa,dar a sentença final , cassando ou absolvendo Marcos Casquinha.

A nova Juíza, Dra Daniela assumiu na última semana a 194" zona eleitoral da comarca e as demandas eleitorais em Matinhos e Pontal do Paraná.