Audiência pública detalha obra e tira dúvidas sobre nova faixa de infraestrutura no Litoral do Paraná

Por Priscila Paganotto 19/05/2017 - 09:15 hs

A Secretaria Estadual da Infraestrutura e Logística promoveu segunda audiência pública com moradores do Litoral para discutir a construção da nova faixa de infraestrutura em Pontal do Paraná.

No encontro, que durou cerca de seis horas, foi apresentada uma síntese das obras e respondidos todos os questionamentos coletados na primeira audiência, feita no início deste ano. O projeto prevê, em um primeiro momento, a construção de uma rodovia pista simples e de um canal de macrodrenagem para combater as enchentes na cidade. O investimento estimado é de 260 milhões de reais.

O pacote completo da faixa prevê um conjunto de obras, como a construção de uma ferrovia, dutos de saneamento, gasoduto e uma rede de transmissão de energia elétrica. Para Moufid Abdelaziz, morador há mais de 40 anos de Pontal do Paraná, o projeto representa um avanço para o município.

Todas as obras estão previstas em uma única faixa de infraestrutura de aproximadamente 23 quilômetros de extensão e 60 metros de largura, entre a PR-407, próximo ao posto da Polícia Rodoviária Estadual, até a Região de Ponta do Poço, na zona portuária do município. Estão projetadas também vias de acesso distribuídas entre as regiões dos balneários de Primavera, Ipanema, Shangri-lá e Vila Nova, e a construção de oito viadutos nas interseções entre a nova rodovia e as quatro vias de acesso. Segundo o comerciante Ercio Weschenfelder, entre as obras anunciadas, a rodovia é o primeiro passo para melhorar a economia local.

De acordo as estimativas do projeto, a construção da primeira etapa de obras deve gerar cerca de 500 empregos diretos durante o período de execução, de dois anos. Os estudos de tráfego apontam que a quantidade de veículos que usam a PR-412 deve aumentar em 57% até 2027. Hoje, na temporada de verão, a média é de mais de 25 mil veículos por dia e mais de 12 mil nas outras épocas do ano. As audiências públicas representaram a primeira etapa da fase de licenciamento ambiental prévio da faixa de infraestrutura proposta para ser construída no município.

A viabilidade da obra vai ser analisada com todas as sugestões e críticas que foram coletadas e vão ser documentadas no processo de licenciamento ambiental do Instituto Ambiental do Paraná nos próximos meses.