Cai número de acidentes com águas-vivas nas praias do Paraná

Geralmente, os acidentes com águas-vivas ocasionam sintomas leves

Por Priscila Paganotto 05/01/2018 - 17:37 hs

A temporada de verão no Litoral do Paraná começou com poucos registros de acidentes com águas-vivas. Entre 22 de dezembro e o dia três deste mês,318 casos foram notificados em Guaratuba, Matinhos, Pontal do Paraná e Paranaguá. No mesmo período da temporada anterior já havia cerca de 5 mil casos. Geralmente, os acidentes com águas-vivas ocasionam sintomas leves. O mais comum é que a pessoa sinta dor e queimação. Nesses casos, o atendimento é feito na orla da praia, pelos bombeiros, com a aplicação de vinagre para aliviar a dor e barrar a ação da toxina na pele. Não é indicadocolocar água doce ou outros líquidos no local da queimadura, nem esfregar a área. Pessoas alérgicas podem apresentar outros sintomas, como náuseas, dores pelo corpo e mal-estar geral. Nestes casos, é preciso procurar atendimento médico. Nas tendas da saúde, na praça central de Guaratuba, Balneário de Ipanema e no calçadão de Caiobá, também é possível ter o primeiro atendimento em caso de acidentes com águas-vivas. Durante a temporada de verão no Paraná, todos os municípios do Litoral receberam recursos no total de 4 milhões de reais para ampliar os plantões médicos e de enfermagem nas Unidades Básicas de Saúde e hospitais da região. A Secretaria de Estado da Saúde também enviou medicamentos e materiais médicos para reforçar a retaguarda de atendimento. Para quem tiver dúvidas, a Secretaria de Estado da Saúde disponibiliza uma central telefônica 24 horas para orientar sobre o que fazer em caso de acidentes com águas-vivas e outros tipos de envenenamentos e intoxicações. O Centro de Controle de Envenenamentos do Paraná atende pelo telefone 0800-410-148 e a ligação é gratuita.